Roma. Foto A.A.Bispo. Copyright. Arquivo A.B.E.


Os trabalhos relacionados com a Itália da Academia Brasil-Europa inserem-se em tradição que remonta ao Festival de Música Contemporânea de Veneza, de 1925. Nesse evento apresentaram-se obras de compositores brasileiros representativas de movimentos de renovação estética do país.


Roma. Foto A.A.Bispo. Copyright. Arquivo A.B.E.
Iniciativas de revitalização dos estudos culturais relativos à presença da Itália no Brasil originaram-se em 1966 no âmbito de uma principais instituições marcadas por professores e artistas italianos de São Paulo, a atual Faculdade Carlos Gomes, então sob a direção de Armando Belardi (1900-1989).


Roma. Foto A.A.Bispo. Copyright. Arquivo A.B.E.
A atualização de perspectivas deu-se com a fundação da entidade que é hoje a organização Brasil-Europa, em 1968.


A atenção passou a ser dirigida ao estudo de questões relacionadas com processos de difusão cultural.


Significativos momentos nessa fase foram encontros com artistas italianos em visita a São Paulo. Realizaram-se trabalhos de pesquisa em comunidades de italianos e seus descendentes em São Paulo, no Espírito Santo e no Rio Grande do Sul, iniciando-se os estudos de imigração e colonização italiana segundo as novas perspectivas de atualização dos estudos culturais.


Desenvolveram-se, em especial, estudos de compositores italianos que atuaram no Brasil no século XIX e brasileiros de formação italiana, em geral caídos no esquecimento, entre êles J. Gomes de Araújo.

Na Europa, realizaram-se desde 1975 várias viagens de estudos, contatos e pesquisas à Itália, sendo desenvolvidos trabalhos em numerosas cidades.

Roma. Foto A.A.Bispo. Copyright. Arquivo A.B.E.

Roma. Foto A.A.Bispo. Copyright. Arquivo A.B.E.
Organizaram-se ciclos de estudos em várias regiões, entre elas no Norte da Itália, Riviera, na Sicília e na Sardinha. Os trabalhos foram orientados segundo as diferentes configurações político-culturais da região no decorrer da história européia, por exemplo considerando-se o período da presença da Áustria na Lombardia e as condições culturais especiais do Norte da Itália, marcado em parte pela esfera de língua alemã.


A Itália foi particularmente considerada em estudos de processos de recepção cultural desenvolvidos em 1979. A partir desse projeto, estudiosos italianos passaram a tomar parte em eventos científico-culturais realizados no Brasil, processo iniciado com o Simpósio Internacional de Música Sacra e Cultura Brasileira, de 1981. Nesse simpósio, considerou-se em especial o papel desempenhado por F. Franceschini na história da reforma sacro-musical do século XX no Brasil.


Roma. Foto A.A.Bispo. Copyright. Arquivo A.B.E.
Marcos significativos dos trabalhos foram encontros realizados em Roma, em 1985, por ocasião do Ano Europeu da Música, trabalhos efetuados por ocasião do Centenário de Carlos Gomes, em 1986, e pelo Ano Colombo, no âmbito do Congresso Internacional do Rio de Janeiro, em 1992.


No Brasil, organizaram-se nos anos 80 e 90 novas viagens de estudos a regiões de imigração italiana do Estado de São Paulo, do sul do Brasil e do Espírito Santo. Pesquisadores brasileiros formados em instituições italianas participaram em eventos da A.B.E. por ocasião do triênio pelos 500 anos do Descobrimento do Brasil.


Questões relacionadas com a Itália e com a imigração italiana em contextos histórico-culturais globais foram tratadas em seminários das universidades de Colonia e Bonn. Em 2003 realizaram-se ciclos de estudos em Roma e em Milão. Estes últimos serviram de preparatória a colóquio internacional de estudos interculturais realizados a seguir em São Paulo.


Em 2004, por ocasião dos 450 anos de São Paulo, realizou-se uma sessão solene no Teatro Municipal de São Paulo dedicada ao tema "Lírica da Metrópole". O papel histórico-cultural desempenhado por compositores brasileiros que obtiveram a sua formação na Itália foi particularmente salientado.


Lembrou-se da necessidade de apreciações mais justas do passado musical brasileiro de influência italiana, de compositores e obras, uma vez que foram desvalorizados no século XX, sobretudo sob a ação de tendências nacionalistas. Nessa ocasião, considerou-se a necessidade de estudos mais aprofundados do papel da lírica no Brasil e no mundo de lingua portuguesa em geral, a partir de posições e questionamentos mais recentes dos estudos culturais.


Em 2012, realizaram-se trabalhos referentes à influência italiana à época da Reforma litúrgico-musical em Macau e na colonia portuguesa residente em Hong Kong em fins do século XIX e início do XX. Esses estudos retomaram temas discutidos em 1986 nessas cidades por ocasião da passagem desses territórios à China, sendo agora a documentação então levantada discutida sob outros aspectos. Uma particular consideração foi dada à recepção de obras de A. Carlos Gomes no Extremo Oriente a partir da influência italiana nas comunidades católicas.


Neste ano também realizaram-se estudos em Gênova e Savona no contexto dos ciclos de estudos dedicados aos fundamentos de processos culturais que relacionam o Mediterrâneo ao Atlântico. Por motivo das comemorações de A. Vespucci, considerou-se o papel relevante desempenhado por navegantes de cidades portuárias italianas na história dos Descobrimentos de fins da Idade Média. Esses trabalhos tiveram continuidade em museus e sítios históricos relacionados com Colombo nas ilhas Canárias, em 2013.


Os trabalhos mais recentes relacionados com a Itália desenvolveram-se em 2014 na Sicília, assim como nas cidades de Nápoles, Lucca, Pisa e Roma. Esses estudos e observações inscreveram-se no programa Cultura/Natureza da A.B.E. voltados ao desenvolvimento de uma ciência da cultura de orientação ambiental. Além desses trabalhos deu-se prosseguimento a estudos voltados às relações musicais entre a Itália e o Brasil. Relacionando questões urbanístico-arquitetônicas, paisagistíscas e histórico-musicais considerou-se vários teatros de ópera, salientando-se os de Pesaro, Lucca e Nápoles.




Materiais
Apenas os disponíveis nos sites da A.B.E.

(em elaboração)


  1. Latinidade nos Estados Unidos e americanizações. Aproximações sob o impacto das atuais tendências nacionalistas e anti-imigratórias nos dois lados do Atlântico

  2. San Francisco. Visões relatinizadoras sacralizantes do desenvolvimento histórico:
    medievalismos em São Paulo e San Francisco. As representações históricas no estilo de Giotto (1267-/76-1337) e A. Mantegna (1431-1506) da catedral episcopal de San Francisco

  3. San Francisco. Americanizações de produções músico-teatrais européias. 100 anos do musical The Girl from Brazil sob a direção de Gaetano Merola (1881-1953), vulto da ópera em San Francisco

  4. Vêneto-Brasil, Áustria e Alemanha: 1866-1936-2016. O nacional e o nacionalismo italiano nas suas tensões e interações com a Europa de língua alemã antes e depois da Primeira Guerra em referências com o Brasil - arte, guerra e esporte.

  5. 150 anos: Se sa minga de Antonio Scalvini (1835-1881) e A. Carlos Gomes (1836-1896). Rivista do ano de guerra nacional italiana contra a Áustria pelo Vêneto nos seus elos com a Alemanha

  6. L'anno della Carta de A. Carlos Gomes. 150 anos da introdução do corso forzoso na crise econômica do reino italiano da era liberal - o financiamento de guerras nacionais encenado com notas cantantes

  7. Custozza - Marcha e Coro Fúnebre de A. Carlos Gomes. Memorial músico-popular dos caídos na guerra de independência nacional italiana contra a Áustria-Hungria no Vêneto de 1866

  8. Il Fucile ad ago de A. Carlos Gomes. O fusil prussiano na vitória sobre a Áustria em Königgrätz (1866) decisiva para a história nacional alemã e recuperação italiana de Veneza tratado musicalmente pelo compositor brasileiro

  9. O canto popular veneziano e o Risorgimento. A Canzonetta veneziana Lisa me vostu ben?  de A. Carlos Gomes dedicada a Antonio Pavan (1823-1898) como decanto do amor de Piero Foscari (1865-1923) e Elisabetta Widmann Rezzonico (1878-1953) - vultos do nacionalismo irredentista

  10. Gabriele d'Annunzio (1863-1938) e o Quartetto veneziano Vittoriale de Edoardo Guarnieri (1898-1968). O III Festival de música de câmara em Veneza 1925 da Corporazione delle nuove Musiche e da Sociedade Internacional de Música Contemporânea nos seus elos com o Brasil I

  11. Alfredo Casella (1883-1947) e Eva Gauthier (1885-1958) como intérpretes de Heitor Villa-Lobos (1887-1959). O III Festival de música de câmara em Veneza 1925 da Corporazione delle nuove Musiche e da Sociedade Internacional de Música Contemporânea nos seus elos com o Brasil II

  12. O Reino Lombardo-Vêneto sob a soberania da Áustria nas suas relações com o Brasil

  13. Karl Freiherr Schneider von Arno (1777-1847) e os Botocudos enviados em 1823 por D. Pedro I (1798-1834) ao Inperador Francisco I (1768-1835). Museu Franzenfeste/Fortezza

  14. O café entre a Áustria-Hungria e o Reino da Itália nas guerras nacionais européias e na ciência alemã Julius Liebig (1803-1873). Museo e Accademia del Caffé da Torrefazione Bontadi di Rovereto

  15. Capoeira ao som do sino da paz de Rovereto: memória de guerra, luta como esporte e confraternização lúdica de nações Fondazioni Campana dei Caduti, Colle di Miravalla, Rovereto

  16. Arte e esporte. Do liberalismo nacional do século XIX a partir da Regata de A. Carlos Gomes (1836-1896) às concepções nacional-socialistas da Olimpia de 1936 em Berlim

  17. Trentino-Alto Adige e Brasil. Sob o impacto do ressurgimento de movimentos identitários nacionais na Europa - lembrando o irredentismo e nacionalismo italiano nas suas relações com o Brasil:  centenário de A. Carlos Gomes (1836-1896) no fascismo (1936) e seus antecedentes

  18. Viva o Brasile, Italia! Viva Trieste e Trento Che ghiamm'a liberá!. O irredentismo italiano no Brasil no exemplo da Canzonetta "A Partenza dé Riserviste dó Brasile" de Savino de Benedictis (1883-1971) pela entrada da Itália na Primeira Guerra Mundial

  19. São Paulo melodramático: a retórica encenatória italiana do monumento a Carlos Gomes (1836-1896) de Luigi Brizzolara (1868-1937) nas suas inscrições em processos político-culturais ítalo-brasileiros

  20. Rovereto, Trento e Brasil - do irredentismo ao fascismo na música e na "poesia d'oltroceano" de entre-guerras. O Hymno Triumphal a Carlos Gomes de Riccardo Zandonai (1883-1944)

  21. Carlos Gomes e a formação patriótico-nacional italiana: Inno-Marcia para o Collegio Militare di Milano como homenagem ao exército italiano à luz do recrudescimento do identitarismo nacional na Europa do presente

  22. Sirmione/Lago di Garda. O teatro de revista em processos político-culturais italianos: o conservadorismo moderado, a crítica ao volúvel da moda e o apelo ao bom senso: Nella Luna (1868) de Eugenio Torelli Viollier (1842-1900) e A. Carlos Gomes (1836-1896)

  23. Festival dei pianoforti di strada em Trento: Brasil e Itália na música para piano do século XIX. Fantasias de óperas e sentimentos identitários. A homenagem a Carlos Gomes (1836-1896) de Paolo Canonica (1846-1902) professor do Collegio/Convitto Longone

  24. Verona: processos de difusão cultural no presente e no passado. Da ópera à música para banda, canto e piano no século XIX. Reduções e transcrições no comércio, na criação e na vida musical. Carlos Gomes (1836-1896) e Nicolò Celega (1844-1906)

  25. Alfredo Colombani (1869-1900): Carlos Gomes na história da ópera italiana - do "aborigene americano" à perda de espontaneidade no auto-desenvolvimento

  26. L'arte è perfetta quando realizza la delizia in grado culminante. Latinidade e Estética em Carlos Gomes (1836-1896) segundo Vincenzo Cernicchiaro (1858-1928). Pelos 90 anos da Storia della Musica del Brasile (1926)

  27. A Itália na Abissínia e o Brasil - Zafán: o canto etiópico celebrativo de Agostino Cantù (1878-1943 )e o centenário de Carlos Gomes (1836-1896) na Itália fascista. Os jovens ítalo-brasileiros da A.O.I. (Africa Oriental Italiana) na Associazione "Amici del Brasile" sob o patronato do Duce

  28. Glanz und Grauen. A moda e a mulher em regimes totalitários de entre-guerra. O Il Guarany no Teatro Lírico de Milão em 1936. Nino G. Caimi (1876-1952) - editor de La Donna -, Cleo Caimi Guarana e Laura Porro

  29. Feminismo e auto-valorização em Itala Gomes Vaz de Carvalho na problemática historiográfica de Carlos Gomes (1836-1896) por ocasião do seu centenário em 1936: Tanagra

  30. Divorzio all'italiana. Carlos Gomes (1836-1896) e Adelina Peri na reescrita da época fascista e tentativas de correção a partir de Divorzio de A. Ghislanzoni ((1824-1893)  à luz de idealizações da família em movimentos identitários nacionais do presente

  31. Ensino musical e difusão cultural em processos político-sociais de entre-guerras. A Instrucção Artistica do Brasil e o papel da mulher no centenário de Carlos Gomes em 1936: Helena de Magalhães Castro (1902-1995)

  32. Do passo do Brenner/Brennero ao Brasil: Italianità, Deutschtum e Paulistanidade no centenário de Carlos Gomes em 1936. O festival do Instituto Musical de São Paulo no Club Germania

  33. Bozen/Bolzano. Interações ítalo-austríacas na música de câmara de entre-Guerras no Brasil. A primeira audição do Quarteto de Carlos Gomes (1836-1896) em 1929 sob o signo de Leone Sinigaglia (1868-1944), da Società del quartetto di Milano e dos 140 anos da morte de W. A. Mozart (1756-1791)

  34. Lombardia - Brasil. Europa supra-nacional e Europa de nações do debate atual em paralelos histórico-culturais. Do humano universal e do nacional em Antonio Carlos Gomes (1836-1896).

  35. Antonio Carlos Gomes (1836-1896) no Scambio culturale Italia-Brasile e os estudos de processos culturai - lembrando Armando Belardi (1900-1989)

  36. Questões de aclimatação nos estudos imigratórios e de adaptação de brasileiros na Europa. Chuva e frio de Milão em A. Carlos Gomes (1836-1896) considerados em 1936 por Luís Heitor (1905-1992) e reconsiderados na Itália em 1976

  37. Antonio Carlos Gomes (1836-1896) e a Scapigliatura lombarda. Descabelamento, caricatura, tolerância e liberdade. Extensões da mocidade acadêmica paulista na Itália?

  38. Villa Gomes: a Villa Brasilia em Maggianico/Lecco e o seu emblema Pro Brasilia. Brasilidade e italianidade em sintonia com o cosmos: a lira substituindo a esfera armilar e a Divina Commedia

  39. O Civico Istituto musicale Giuseppe Zelioli na Villa Gomes. Questões de nomes: restauração sacro-musical e visão do mundo em tradição iluminista

  40. Il Parco di Villa Gomes - a Villa Fiori. Cultura/Natureza no paisagismo, na arquitetura e na pintura de interiores sob o signo de Dante Alighieri (1265-1321) nas suas implicações para estudos do compositor de Il Guarany

  41. Duas Villas, dois parques, dois músicos: Amilcare Ponchielli (1834 - 1886) e A. Carlos Gomes (1836-1896) no espírito de I Promessi Sposi de Alessandro Manzoni (1785-1873)

  42. O Lago de Como e o Brasil. Idílio da paisagem pré-alpina e remadores - pintura, música e visão do mundo. O Sul Lago di Como - La Regata, barcarola de A. Carlos Gomes (1836-1896) com versos de Carlo d'Ormeville (1840-1924)

  43. Alpes e Brasil - Dimensões do "alpinismo pioneirístico". O pensamento livre, a visão ampla e o coração inebriado das alturas no bradar pela liberdade: o Inno Alpino de A. Carlos Gomes (1836-1896) com texto de Antonio Ghislanzoni (1824-1893)

  44. O Brasil e pobreza na Itália no século XIX como fator de emigração. Arte e beneficiência de corações altos à época do Liberalismo na obra de A. Carlos Gomes (1836-1896)

  45. Antonio Carlos Gomes (1836-1896) no Ano Europeu da Música de 1985. Crepúsculo e morte em Belém: vestígios documentais e reflexões sobre o nacionalismo na imprensa paraense. Trabalhos da década de 1980 em Belém

  46. O Ano Carlos Gomes de 1986 no Pará. Saídas e retornos, fatores étnicos e psicológico-culturais. Imagens da floresta e processos civilizatórios. Trabalhos da década de 1980 em Belém

  47. O Ano Carlos Gomes de 1986 em Lecco a solenidade no Pallazzo Civico e a comunicação "Un brasiliano a Maggianico" de Gaspare Nello Vetro

  48. O Ano Carlos Gomes de 1986 em Milão. A mostra da Biblioteca Comunale di Milano sob especial consideração de costumes e pinturas de cenas de óperas de Carlos Gomes no seu significado para estudos de imagens e da história da cenografia

  49. Campinas e Milão nas comemorações do Ano Carlos Gomes de 1986. Unicamp e Centro Culturale Italo-Brasiliano: o Burrico de Pau

  50. Itália - Brasil - Estados Unidos nas comemorações do Ano Carlos Gomes de 1986. The A. Carlos Gomes Fund (NY) e Carlos Gomes na perspectiva histórica dos mórmons

  51. Nápoles, Lucca e Brasil. Relações culturais euromediterrâneo-brasileiras sob a égide dos Bourbons, suas consequências e transformações.

  52. Exulta, Oh Brasil! Saverio Mercadante (1795-1870), suas obras e seus discípulos no Brasil e a sua aluna brasileira Heloísa Marechal (?-1860) em Nápoles. Grandiloquência melodramática em processos ascensionais sociais e político-culturais

  53. ...con la nostalgia in cuore per la sua cara Napoli, pure amando il Brasile...Arcangelo Fiorito (1813-1887): canto, música sacra e pasta alla napoletana no Rio de Janeiro

  54. Achille Arnaud "Napolitano" (1832-1894) e Gennaro Arnaud (?-1884). Nostalgia de Margellina e Posilipo em serenatas para piano e canções napolitanas no Brasil

  55. Harmonia celestial no Brasil (1851). Gioacchino Giannini (1817-1861) e a tradição teórica e musical de Lucca. A "cidade da música" entre L. Boccherini (1743-1805) e G. Puccini (1858-1924): a época de Giovanni Pacini (1796-1867)

  56. Lucchesi no mundo e Estudos Puccinianos. Michele Puccini Jr. (1864-1891) e brasileiros na Scapigliatura milanesaa.

  57. A tarantella napolitana e o adeus à Itália em Maria Petrowna no cenário político internacional antes da Primeira Guerra e na na vida musical ítalo-brasileira de entre-guerras.

  58. Restauração católica e Belle Époque. Interações teuto-ítalo-brasileiras na arquitetura e música de igrejas de São Paulo. Marianismo antes e após a Primeira Guerra: Filhas de Maria e o Dia da Música (1924)

  59. "Ah! As ninfas cantam!"- Focas e ninfas do Golfo de Nápoles e sereias de Santos na formação das jovens paulistas no exemplo de La Ninfa

  60. Toscana-Áustria-Baviera-Piemonte. Interações ítalo-austríaco-alemãs em relações com o Brasil. Ciclos de Starnbergersee motivados por datas comemorativas: 200 anos do Congresso de Viena (1814/1815) e 150 anos de Florença como capital do Reino da Itália (1865)

  61. 100 anos da morte de Giuseppe Buonamici (1846-1914)
    Relações musicais entre Florença e Munique nos seus elos com o Brasil.
    Giuseppe Buonamici, aluno de Hans von Bülow (1830-1894), professor do brasileiro Henrique Oswald (1852-1931). A sociedade "Museum" e Hugo Bußmeyer (1842-1912).

  62. 150 anos de Paulo Florence (1864-1949)
    Hans von Bülow (1830-1894) e a música no Brasil. Reflexões no museu da núsica no Elisabethenburg de Meiningen

  63. O húngaro Henri/Henry Ketten (1848-1883) e Henri/Henry Oswald (1852-1931) sob o signo de Hans von Bülow (1830-1894) em contextos internacionais do virtuosismo pianístico do século XIX - Paris como referencial

  64. 150 anos de Florença como capital do Reino da Itália (1865-1871)
    Florença e Brasil nos estudos de processos culturais. Imagens e aspectos de quatro décadas de trabalhos euro-brasileiros I

  65. 200 anos de Gioacchino Maglioni (1814-1888)
    Florença. A música sacra em Florença e o Brasil. Imagens e aspectos de quatro décadas de trabalhos euro-brasileiros II

  66. 450 anos de Galileo Galilei (1564 -1641/2)
    Pisa. Balle di Scienza: Toscana e Brasil na História do Direito e das Ciências. Projeção universitária de Pisa e o Osservatorio di Firenze

  67. 200 anos D. João Bosco (1815-2015)
    Um movimento da época da industrialização e expansão italiana nos seus contrastes com o esplendor do Barroco de antiga abadia bávara. A primeira mostra de trabalhos indígenas em missões italianas na Esposizione dell'Arte Sacra de 1898 em Turim

  68. 100 anos de morte de Tommaso Villa (1829-1915)
    Turim. A primeira Mostra italo-brasiliana na Esposizione nazionale italiana de 1898 em Turim. Empreendedorismo de imigrantes no Brasil, maçonaria e a celebração do liberalismo italiano nos 50 anos do Statuto Albertino

  69. 100 anos de morte de Alfredo d'Andrade (1839-1915)
    Turim. O Borgo Medievale da Esposizione Generale Italiana de 1884 em Turim e o seu arquiteto português Alfredo d'Andrade em paralelos com São Paulo. Organalia 2015 de Turim pela Expo 2015 de Milão

  70. Turim. O Brasil na Esposizione internazionale dell'Industria e del Lavoro de 1911: "Pela ordem e pelo progresso, o Brasil desenvolve seu comercio e sua indústria"

  71. Encenações e arquitetura - o pavilhão do Brasil na Esposizione internazionale dell'Industria e del Lavoro di Torino em 1911: Neo-Barroco, Art Nouveau e a representação do Brasil republicano

  72. Bandas no Brasil e no Alasca. Música da alvorada do progresso sob o signo e pluribus unum em Ketchikan e a marcha „Aláska“ do ítalo-brasileiro João Berti

  73. Massey Hall: Concerto de E. P. Johnson (1878-1959) e G. Novaes (1888-1984) (1924)

  74. Por detrás dos bastidores: Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Empresariado em relações político-culturais internacionais: Walter Mocchi (1870-1955), Emma Carelli (1877-1928) - Claudia Muzio (1889-1936) e a empresa Ottavio Scotto

  75. Ipanema/Rio de Janeiro (RJ). Partindo de Copacabana: Franciscanos alemães, religião e moral na expansão urbana às praias. A castidade dos jovens do Rio na exemplaridade de S. Luís (Aloísio) Gonzaga SJ (1568-1591) - Regina Pacis e a Primeira Guerra Mundial

  76. Bairro do Pari - São Paulo (SP). O Convento de Santo Antonio em meio operário italiano e português da várzea entre o Tamanduateí e o Tietê: anti-secularização acompanhando a industrialização. A arquitetura do Ir. Felicianus Schlag OFM (1857-1923)

  77. Amparo (SP). Provincianismo e universalismo ultramontano de missionários alemães em regiões interioranas de cultura cafeeira e de imigração. Lembrando a Liga da Modéstia Cristã para a defesa da moral, dos costumes e do recato feminino. São Benedito!

  78. Rodeio (SC). Imigrantes de Veneto e Trento no Brasil e a ultramontanização alemã de „irredentos“ da antiga Áustria-Hungria em estudos da região Alpes-Adria. Pe. Athanasius Piccoli (1843-1905). Diálogos no Wörthersee

  79. O Instituto Cultural dos Açores de Ponta Delgada e as primeiras Semanas de Estudos dos Açores. Um açoriano no Pontificio Istituto di Musica Sacra (Roma) nos anos marcados pelo Concílio Vaticano II e pelo fim do império colonial português

  80. De Roma à Alemanha em anos pós-conciliares: da música prática à Pesquisa e à Missão Portuguesa de Colonia. Visitas à comunidade lusófona de Toronto/Missasauga

  81. Um cantor brasileiro na "nave della musica": Marcelo Alves da Silva (Mamé) e o espírito do Zimbo Trio. Processos culturais na imagem sonoroa do Brasil à luz do antigo paradigma do Navegante

  82. Itália-França-Espanha-Portugal-Brasil. A perspectiva científica nos Estudos Culturais a serviço do Esclarecimento. Dos fundamentos sistêmicos de processos culturais euro-mediterrâneo-atlânticos e suas extensões transoceânicas. 500 anos da morte de Americo Vespucci (1451-1512)

  83. Lofotes. As aldeias de pescadores mais a Norte do globo na elucidação de elos comerciais internacionais e obscuros costumes alimentares. Os caminhos do bacalhau à Itália, a Portugal e ao Brasil e a imagem do Piscis Australis

  84. O Budismo aplicado nas relações sino-ocidentais: possibilidades e problemas de um caminho de aproximação cultural. Compaixão Divina no Extremo Oriente e Nossa Senhora da Misericórdia. Guanyin no Templo Lama do Palácio da Paz e Harmonia

  85. O caminho do Confucionismo no "fazer-se chinês para ganhar chineses". Amizade na procura do saber em aproximações entre o pensamento chinês e a tradição filosófica do Ocidente.Templo de Confúcio e Museu do Colégio Imperial

  86. A música na influenciação mental da China. Eunucos como veículos de missionários em inveracidade de relações humanas: fins justificam meios? Sepultura de Mattheo Ricci (1552-1610), Beijing/Peking

  87. Após 15 anos de trabalhos do ISMPS em Hong Kong e Macau (1996) pelo término de soberanias européias na China e do Padroado Português do Extremo Oriente

Mudanças de referenciais culturais de portugueses no Extremo Oriente à época da expansão do colonialismo britânico I. Música sacra em Hong Kong
Mudanças de referenciais culturais de portugueses no Extremo Oriente à época da expansão do colonialismo britânico II. Música sacra em Macau
Arte lírica na China e o ensino de canto de orientação italiana de portugueses em Hong Kong: Il Guarany e Salvator Rosa de Antonio Carlos Gomes (1836-1896) em Kowloon

  1. Veneza do Oriente I. Partindo de imagens e pensando em Recife: a Sereníssima no Adriático e a cidade às águas do Menaam - Cultura/Natureza, comércio e relações internacionais

  2. Fundamentos de edifícios de imagens e de interações de meios de expressão em perspectivas brasileiras e romenas. A lira nas trevas e o exílio de Ovidio no Mar Negro no patrimônio humanístico

  3. Tropaeum Traiani como marco aterrorizador do triunfo sobre a barbárie -
    Marte e a identificação com o mundo romano dos Romenos

  4. A gente de Lucca no Brasil de Wolfgang Adolf Gerle (1781-1846)

  5. Santa Catarina e Rio Grande do Sul na versão de Franz Heiderich (1893) da Descrição Geral do Globo de Adrian Balbi (1782-1848)

  6. Lusitanidade e o culto a Santo Antonio em Kerala nas suas relações com São Jorge e São Sebastião. Estudos indo-antonianos

  7. Estudos xaverianos em perspectivas teórico-culturais: questões de cultura memorial e métodos de militância. No mausoléu de S. Francisco Xavier (1506-1552)

  8. Montefalco (Umbria) e Monte Santo de Goa: Eremitas Agostinhos no Oriente. De procissões e motetos dos Passos no mundo colonial português

  9. Estudos jesuítas e Estudos Culturais em relações Brasil-Índia: aspectos de um debate

  10. O Barroco na Índia no campo de tensões entre o Padroado Português e a Propaganda Fide. Recepção religioso-cultural romana em Goa e o clero nativo dos Teatinos

  11. Rêdes sociais na história político-cultural. Itália- Alemanha-Áustria-Hungria e Rússia

  12. O Brasil nos primórdios do Moderno europeu: a Sociedade Internacional de Música Contemporânea e o festival de Veneza de 1925

  13. Início dos trabalhos de renovação teórica (1968): Questões de difusão cultural. Ópera italiana no Brasil: renovação e exigências de público

  14. Início dos trabalhos de renovação teórica (1968): Questões de difusão cultural. Centenário de Rossini e  L'Insieme di Firenze

  15. Início dos trabalhos de renovação teórica (1968). Questões de difusão cultural. Quartetto Italiano no Brasil

  16. Milão-São Paulo. Construção de perpetuidades na identidade cultural. Ano Carlos Gomes

  17. Imigração e arquitetura teatral. Teatro Carlos Gomes de Vitória, 80 anos. Projeto de André Carloni

  18. Patrimônio arquitetônico-teatral das Américas. Exemplo Teatro Nacional de Costa Rica nos estudos euro-brasileiros

  19. Restauração litúrgico-cultural e romanizações na história eclesiástica dos países do Cone Sul. Giovanni Battista Giovenale e a Catedral de Porto Alegre

  20. Fontes para estudos indígenas sob enfoques supra-nacionais: Regiões austrais. A. Pigafetta

  21. Festival de Verona de 2007

  22. Fascismo e música na história político-cultural das relações Itália-Brasil. Viaggio musicale de A. Lualdi: 75 anos

  23. História das explorações geográficas e memória da natureza: Giacomo Bove (1852-1887) e as Sete Quedas de Guaíra

  24. Italianidades e ópera em processos híbridos. Reflexões no Museo Teatrale do Teatro alla Scala, Milão

  25. Festivais de canção e processos de identidade cultural. Reflexões em San Remo

  26. St. Michele. Quis ut Deus? Concepções rosminianas: razão/religião e o princípio da passividade

  27. Conexões transatlânticas histórico-político-culturais. Anita Garibaldi, "Heroína dos dois mundos". Museu Garibaldi, Caprera

  28. Caxias do Sul: Conservação de instrumentos musicais de colonos italianos

  29. Trabalhos da Academia Brasil-Europa na Áustria e na Itália

  30. O Palacete Santa Helena em São Paulo

  31. Manuel de Araújo Porto-Alegre, Barão de Santo Ângelo (1806-1879). A natureza pela face misteriosa do coração

  32. La musica in portogallo de Paolo Scarnecchia

  33. Lírica na história intercultural e na imagem de cidades. Dimensões européias da música de Donizetti e sua recepção no Brasil

  34. Malta na esfera musical italiana e nos círculos italianos no Brasil

  35. Concepções historiográficas, exame crítico e teoria: "Deixar que os fatos falem por si próprios com a sua incontestável eloquência". Manuel Pereira Peixoto d'Almeida Carvalhais (1856-1922): 150 anos

  36. Libretos como fontes históricas para o estudo da ópera em Belém

  37. Lírica da Metrópole. Pelos 450 anos da cidade de São Paulo

  38. Mutações e interculturalidades nas condições urbanas atuais

  39. O processo criador no urbanismo, na música e nas ciências

  40. Veneza. Caminhos da arquitetura do presente e a cultura

  41. Bolonha. Simbolismo cosmológico da organização espacial e a cidade atual

  42. Roma. A metrópole pós-moderna: Sugestões teóricas

  43. Estudos culturais euro-mediterrâneo/transatlânticos. Projeto Sardegna e Savoia-Piemonte. Museu de Etnografia Sarda

  44. Contextos euromediterrâneos - história do pensamento e diálogo de culturas e religiões

  45. Istituto Euromediterraneo de Tempio Pausania, Sardegna



 




Roma. Fotos A.A.Bispo 2002 e 2014. © Arquivo A.B.E.

 

BRASIL-EUROPA
www.brasil-europa.eu

Organização de estudos de processos culturais em relações internacionais (registrada 1968)
Academia Brasil-Europa

Direção: Prof. Dr. Antonio Alexandre Bispo

©

ESTUDOS CULTURAIS EUROBRASILEIROS RELACIONADOS COM A

ITÁLIA

 

Portal (português)     Portal (deutsch)      Revista     Contato     Convite     Impressum     Estatística     Atualidades