Inglaterra. Foto A.A.Bispo 2012. Copyright. Arquivo A.B.E.
Os estudos relacionados com a Grã-Bretanha da Academia Brasil-Europa iniciaram-se em 1968, sob a orientação de Eleanor Florence Dewey. Sendo uma das iniciadoras da entidade que hoje é a organização Brasil-Europa, a preocupação foi a de dirigir os estudos culturais que relacionam o Brasil, a Inglaterra, a Escócia e o País de Gales segundo as tendências que procuravam renovar teoricamente os estudos culturais. Os estudos passaram a ser desenvolvidos em estreita colaboração com a Associação Brasileira de Folclore e entidades culturais anglo-brasileiras.


Na Europa, os trabalhos na Escócía e Inglaterra tiveram o seu início em dezembro de 1974 e janeiro de 1975 com uma viagem de contatos e estudos. Foram visitadas várias cidades e instituições, entre elas Londres, York, Cambridge, Oxford, Glasgow, Edinburgo e Liverpool.  Em 1977, realizaram-se trabalhos no País de Gales.


Dewey orientou os trabalhos na Inglaterra a partir de 1976. Nas décadas de 80 e 90, desenvolveram-se ciclos de estudos em Londres e em várias regiões do país, mais em particular no sul da Inglaterra.


No decorrer dos anos, os principais nomes da história natural da Inglaterra que realizaram pesquisas no Brasil no século XIX foram considerados em encontros e publicações, na Europa e no Brasil.


O relacionamento da Inglaterra com o mundo de língua portuguesa foi considerado sobretudo através de estudos relativos a Portugal e ao mundo insular atlântico, aqui em particular à Madeira.

Inglaterra. Foto A.A.Bispo 2012. Copyright. Arquivo A.B.E.
No Congresso Internacional de São Paulo, em 1987, a situação dos estudos e das pesquisas na Grã-Bretanha foi considerada, assim como iniciativas de estudiosos inglêses atuantes no Brasil. Essas iniciativas, em particular aquelas relacionadas com a música contemporânea e a Educação Musical, foram novamente consideradas sob a perspectiva de fundamentos teóricos de suas concepções no Congresso Internacional do Rio de Janeiro, em 1992.


Devido à orientação dos estudos da A.B.E., os trabalhos foram direcionados sobretudo ao papel desempenhado pela Inglaterra em regiões extra-européias. No âmbito de projeto dedicado às culturas indígenas do Brasil, as contribuições de cientistas inglêses foram pormenorizadamente consideradas nos seus devidos contextos. Uma outra área disciplinar que tem merecido particular atenção é a da arquitetura, em particular a de tendências contemporâneas. Nesse contexto, foram visitadas exposições e instituições de pesquisas em Londres.

Nos últimos anos, a atenção tem sido dirigida sobretudo às dimensões globais do império britânico e suas relações com a história do colonialismo.


Se a presença e a influência inglêsa no Brasil já tinham sido tratadas por diversas vezes, também em continuidade a estudos mais antigos a respeito, as pesquisas e reflexões passaram a ser dirigidas agora a esferas de influência britânica no mundo e suas interferências na América Latina, e, sobretudo, aos processos culturais desencadeados pelos inglêses na história do pensamento e da cultura.


Nesse sentido, a A.B.E. organizou viagens de estudos e contatos a vários países marcados pela colonização inglêsa no passado, sobretudo no Caribe, entre outros na Jamaica e St. Thomas, à Índia e ao Pacífico. Aqui, o programa da A.B.E. dedicado às relações entre o Atlântico e o Pacífico levou à realização de um ciclo de estudos que incluiu várias cidades da Austrália e da Nova Zelândia.


Esses trabalhos realizaram-se no contexto das comemorações do Ano Darwin 2009, quando foram examinadas as relações entre o Brasil e a Grã-Bretanha no desenvolvimento da Teoria da Evolução. Os estudos levaram também à análise de tendências do pensamento ético-filosófico inglês que apresentam pontos de contato com desenvolvimentos brasileiros.


As relações e as interferências entre processos culturais e esferas de influência da França e da Inglaterra nas suas transformações no decorrer da história foram estudadas mais recentemente durante viagem de estudos e contatos empreendida pela A.B.E. a Maurício e a outros estados insulares do Pacífico, entre êles Vanuatu e Fidschi.

Entre os ciclos de estudos mais recentes realizados na Inglaterra, destacam-se aqueles de 2012 em Manchester, na ilha de Guersey e em Cambridge. Em Manchester, a atenção foi dedicada a transformações culturais na vida cultura e musical no desenvolvimento urbano de cidades marcadas pela Revolução Industrial e suas implicações no mundo extra-europeu. Foram reconsiderados aspectos da história da música de Hong Kong e da influência britânica na transformação cultural experimentada pela comunidade luso-macaense da colonia inglesa a partir do significado da colonia chinesa em Manchester.


Nas sessões levadas a efeito em Cambridge, a atenção foi dirigida sobretudo a Bertrand Russell (1872-1970) na sua recepção no Brasil e à atualidade de seu pensamento em época marcada pelo recrudescimento de correntes religiosas, também na juventude universitária. Considerou-se, em particular, o significado internacional desempenhado por Cambridge nos estudos universitarios da atualidade e da participação de latinoamericanos nos cursos internacionais de verão que ali se realizam.


Em 2014 realizaram-se estudos euro-brasileiros em Londres e nos condados de Kent e Sussex. Além do objetivo de atualização de conhecimentos e de observação da situação atual, a principal finalidade do ciclo foi o da consideração de construção de paisagens sob a perspectiva do programa Cultura/Natureza da A.B.E.. Foram, assim, visitados parques e jardins botânicos em diversas cidades e domínios, observando-se as tendências teóricas e práticas do paisagismo e de concepções culturais relacionadas com o meio ambiente.


Materiais
Apenas os disponíveis nos sites da A.B.E.

(em elaboração)


  1. Pinturas de vultos históricos indígenas no Royal Ontario Museum

  2. Sem fronteiras! Fraternidade Ártica e Brasil Transepocalidade do bandeirantismo e Maçonaria em regiões de rush.100 anos de nascimento de Manoel Rodrigues Ferreira (1915-2010), presidente da „Ordem Nacional dos Bandeirantes“ e 20 anos de falecimento de Abguar Bastos (1902-1995)

  3. O totem e as „cidades maravilhosas“. Questões paisagismo urbano consideradas no Indian Totem Poles do parque Stanley de Vancouver. Pelos 450 anos do Rio de Janeiro

  4. Toronto - cidade da „Casa Loma“ de Sir Henry Pellat (1859-1939) e o Rio de Janeiro. Empreendimentos canadenses no Brasil no seu contexto cultural. Heitor Villa-Lobos (1897-1959) em concerto na Casa Loma 2015

  5. A dança e a natureza do Rio. Percepção do belo e a expressão do ser como se é na libertação do corpo. Lembrando Maud Allan (1873-1956) na Church Village de Toronto

  6. Massey Hall: O Patriotic Concert do Women‘s Musical Club (1917)

  7. Seychelles, La Réunion & Brasil. „Pronto para as ilhas?“ O europeu nos trópicos e o creolo no mundo: cultura, tempo livre e escravidão em processos coloniais. Pelos 350 anos da chegada dos franceses nas Mascarenhas e 450 anos do Rio de Janeiro

  8. Colonialismo britânico e pós-colonialismo no Índico. Política anti-escravagista inglesa e mudanças culturais: a creolização de africanos. Bobre no Índico e berimbau no Brasil

  9. Abertura ao Exterior e europeizações no Brasil e no Madagáscar no século XIX. 150 anos do decreto de abertura de rios brasileiros e a política malgache sob Radama II (1829-1863). Imigração, Estudos Coloniais e Colonialismo 2015

  10. O revelar o singular e o individual em linhas de vida no decorrer histórico e a qualificação de "portuguesa" e "brasileira" da cultura, da arte e da música. Repercussões da Morfologia Cultural de Arnold J. Toynbee (1889-1975)

  11. Discussão na Alemanha do Plano Nacional de Educação Artística em Portugal à luz da experiência brasileira em Educação Artística e da recepção de Herbert Read (1893-1968)

  12. Da recepção de Bertrand Russell (1872-1970) no Brasil: Perspectiva científica no esclarecimento de riscos nucleares para a Humanidade versus obscurantismo religioso em nome de concepção espiritual do Homem

  13. Religiões na vida universitária em Cambridge do presente e a crítica de Bertrand Russell (1872-1970) da religião como fator de atraso no desenvolvimento do Homem e da Ciência

  14. University of Cambridge. Excelência e Liberdade - "Deixar que o mundo participe de Cambridge": cursos internacionais de verão. Robert Burns (1759-1796), poeta do amor e da liberdade

  15. O ver ouvindo e o ouvindo ver nas transformações do edifício cultural. De referenciações históricas de conhecimentos empíricos no exemplo de St. Swithin (ca. 800-862) à "Cartilagem auricular" do Barroco protestante nórdico

  16. China e Brasil: potências emergentes em processos globais. Análises culturais no esclarecimento de desenvolvimentos e mentalidades. Ciclos em Beijing/Peking e Manchester pela participação da China na Feira de Hannover 2012

  17. A Gruta de Camões como Sábio por Excelência e Confúcio do Ocidente em paisagens sino-inglesas e em transfigurações românticas. Da Literatura à Filosofia intercultural nos estudos de relações China/Ocidente. Colina da Elegância Acumulada do Jardim Imperial

  18. O lúdico como tarefa de análises a serviço do entendimento sino-ocidental. Da Ópera de Peking à Paródia à Bastiana em Macau, à Negra Catarina no Brasil e aos Christy Minstrels. Teatro Liyun, Beijing/Peking

  19. Após 15 anos de trabalhos do ISMPS em Hong Kong e Macau (1996) pelo término de soberanias européias na China e do Padroado Português do Extremo Oriente

Mudanças de referenciais culturais de portugueses no Extremo Oriente à época da expansão do colonialismo britânico I. Música sacra em Hong Kong
Mudanças de referenciais culturais de portugueses no Extremo Oriente à época da expansão do colonialismo britânico II. Música sacra em Macau
Arte lírica na China e o ensino de canto de orientação italiana de portugueses em Hong Kong: Il Guarany e Salvator Rosa de Antonio Carlos Gomes (1836-1896) em Kowloon

  1. Relações China/Europa/Américas sob o signo do comércio mundial e do Liberalismo. Transformações de configurações geográfico-culturais e sistemas referenciais

Judeus na internacionalização e profissionalização da vida musical em centros comerciais da Europa, das Américas e da China. O discípulo de Ignaz Moscheles (1794-1870) Rod Sipp, o D. Quixote do piano
Heroísmo e sentimento, patriotismo e internacionalidade: o papel da Polonia. Chopin em Manchester e na China e o acariciar teclas de Anton de Kontski (1817-1899): O Despertar do Leão e a Marcha a Camões
Migrações a centros de comércio e mudanças de práticas tradicionais. Cavalgadas do Divino de zonas rurais inglesas à música de banda em Manchester e na integração de portugueses no universo britânico de Hong Kong
O comércio musical de portugueses em Hong Kong nos estudos culturais do Popular internacionalizado na China. Flauta, bandolim e guitarra, maxixes, tangos e polcas

  1. Instituto Cultural Confúcio. Ciência, auto-análise cultural e o primado do Caráter no campo de tensões entre ideologia política e tradição filosófica nas relações entre a China e o Ocidente. Reflexões a partir de Mencius

  2. Descobrimentos e revelações, renovações e restaurações. Paradoxias de Novos Mundos e edifícios historiográficos no exemplo de Pedro Fernandes de Queirós (1565-1614), o descobridor português da Oceania

  3. Scenic World. Descobrindo os descobertos e descobertos revelando-se. Um monumento às expressões aborígenes de boas-vindas nas Blue Mountains. Do Korrobori (Korroberye, Corroberie, Corroboree)

  4. Vida sertaneja e de canaviais no Brasil e no Pacífico Sul. Interações culturais franco-britânicas, relações interregionais e expressões de tensões, crises e desequilíbrios culturais. Uma fonte esquecida: Voyage a La Nouvelle-Calédonie (1863-1866) de Jules Garnier

  5. Revelando aspectos recônditos de mecanismos transformatórios: formas de culto do tipo "cargo" na Melanésia em aproximações diferenciadoras a expressões religiosas no Brasil

  6. Acordai!: cultura metodista revelando-se? Wesleyanismo no Pacífico Sul e o entusiasmo nas manifestações musicais em Fiji

  7. Morte e ressurreição em danças de combates em Fiji e o Caiapó do Brasil. Fiji-Brasil na Etnomusicologia e no estudo de processos músico-culturais em contextos globais

  8. O "Gigante Adormecido" no Brasil e em Fiji. Cultural Studies e Natureza: reflexões a partir do legado de Raymond Burr (1917-1993)

  9. Aleluia! Vanuatu revelando-se: crianças como portadoras de Revelação. Resultados culturais da ação de missionários e o Pop Pacífico internacional no exemplo das Ilhas Hébridas

  10. Entre fascinação e confronto com contrastes nas Américas e no Sudeste da Ásia. O cientista-diplomata Robert Hermann Schomburgk (1804-1865) no reino de Mongkut/Rama IV (1804-1869) segundo registros de um pintor alemão

  11. Tradições religiosas ocidentais e asiáticas em processos internacionalizadores. O culto a Kuan Yin na Malásia

  12. O inglês como idioma, elos culturais com a França e e legado português. Internacionalização de estudos e inserções histórico-político-culturais de instituições

  13. A música popular em processos internacionalizadores à época da Segunda Guerra Mundial e suas consequências para a identidade de urbes: São Paulo e George Town

  14. Chineses da imigração em processos internacionalizadores - os "Straits Chinese"

  15. Tailândia, Vietnam, Malásia e Brasil: internacionalizações e ciência em processos político-culturais globais. Sob o signo da amizade: 500 anos de elos do Sião com o Portugal no seu significado para estudos euro-brasileiros

  16. Entre fascinação e confronto com contrastes nas Américas e no Sudeste da Ásia. O cientista-diplomata Robert Hermann Schomburgk (1804-1865) no reino de Mongkut/Rama IV (1804-1869) segundo registros de um pintor alemão

  17. Muzium Ngeri Pulau Penang. A música popular em processos internacionalizadores à época da Segunda Guerra Mundial e suas consequências para a identidade de urbes: São Paulo e George Town

  18. Pinang Peranakan Mansion. Chineses da imigração em processos internacionalizadores - os "Straits Chinese"

  19. Da universidade na sua inserção em processos culturais transatlânticos IV. História cultural universitária de expressão anglofone no Canadá

  20. História cultural do comércio e dos transportes entre o Canadá e o Brasil. Pedro II° e círculos britânicos na América do Norte: Dugald MacDonald (1838-1918) e William Darley-Bentley (1840-1888?)

  21. Paisagismo e identidade em situações interculturais franco-inglesas e suas relações com a imagem do homem no paradigma de Joana d‘Arc

  22. Jardins, bandas e coretos na vida urbana em seus elos com a Escócia, a Irlanda e a Inglaterra. Pelo The Canadien Naval Centennial 2010

  23. Monumentos e leitura de expressões arquitetônicas do loyalism na história britânica das Américas

  24. Tradicionalismo escocês no continente americano e elos comuns com o mundo de formação portuguesa. Sentido músico-antropológico da gaita de foles

  25. Do descobrimento do Canadá pelos portugueses - „Terra do Labrador“ e "Terra dos Bacalhaus"

  26. Canadá, Estados Unidos, Europa e Brasil: relações franco-britânicas em processos transatlânticos e interamericanos. Ciclo „Indian Summer“ pelos 300 anos da ida ao Canadá de Joseph-François Lafitau (1681-1746), fundador dos estudos culturais comparados

  27. Direitos Humanos, Estudos Culturais e História Diplomático-Cultural. Sudeste da Ásia-Brasil: Singapura

  28. Thomas Stamford Bingley Raffles (1781-1826) e a fundação de Singapura (1819): „colonialismo esclarecido“ nas suas relações com os estudos científico-culturais, estrategia diplomática e direitos

  29. Islão no Sudeste da Ásia e imagens européias do Oriente. Papel do sultão der Singapura na diplomacia cultural inglêsa em cotejo com a portuguesa de Afonso de Albuquerque em Málaca

  30. Estética e Direitos Humanos: Realismo nas artes asiáticas e Simbólica. O Merlion de Singapura e a imagem da sereia na Ásia, na Europa e no Brasil

  31. Esplendor do culto a Mariamman de imigrantes da Índia nos seus anelos de recuperação e crescimento em processos inter- e transreligiosos

  32. A mãe-d'água e rainha dos céus na imigração chinesa em Singapura à luz de imagens e concepções da tradição portuguesa e brasileira

  33. Cultura/Natureza e questões de Direito nas relações Brasil-Sudeste da Ásia: 1) Alfred Russel Wallace (1823-1913); 2) José d‘Almeida Carvalho e Silva (1784-1850). Antecedentes à introdução da Hevea brasiliensis nas colonias britânicas em desrespeito a normas de procedimento nas relações internacionais

  34. Catedral Of The Good Shepherd. Missions Étrangères e Padroado Português: problemas de jurisdição missionária e de inserção cultural

  35. „Klings“ na edificação da catedral anglicana. Ordem e Progresso em Singapura e a disciplina correcional do sistema penitenciário a serviço do Colonialismo britânico

  36. Consciência histórica e concepções de nacionalidade no Havaí e no Brasil. Líderes indígenas em diferentes situações: Kamehameha I° "O Grande" (ca. 1758-1819). Narrativas cantadas e edifícios históricos

  37. Liholiho ou Kamehameha II (1797-1824) e a rainha Kamamalu (1802-1824) no Brasil e na Grã-Bretanha. Significado histórico-cultural da viagem transoceânica da comitiva real havaiana em situações de mudança em diferentes nações

  38. Congregacionalismo na mudança cultural do Havai: Honolulu Kawaiaho'o Church: "Westminster Abbey of Pacific" sob Kamehameha III° (1814-1854) e seu significado para os estudos brasileiros

  39. A música na sociedade euro-havaiana de tendências vitorianas à época de Kamehameha IV (1834-1863) e da rainha Emma (1836-1885). Paralelos com o Brasil do Segundo Império

  40. O Neo-gótico português e o Gothic Revival no Havaí. Anglicanismo e significado histórico cultural do campo de tensões Congregacionalismo/episcopalismo nas suas relações com tendências norteamericanas e pró-britânicas. A Catedral St. Andrew:  monumento arquitetônico e centro de cultura musical

  41. "Linguagem do coração e batida do coração do povo do Havaí". Hula, "Dandyismo" e vibrações simpatéticas na sensibilização estética por valores culturais

  42. O papel da London Missionary Society na transformação cultural da Polinésia. Significado para as congregações evangélicas no Brasil e para os estudos hinológicos e etnomusicológicos

  43. Taiti-Caribe-Brasil na história das relações transcontinentais e seus elos com transplantes vegetais. Fruta-pão na aventura do Bounty e a imagem da jaca no Brasil

  44. Navegações na história cultural e história cultural das navegações. Do descobrimento português do Mar do sul e suas dimensões

  45. Índico na história britânica da observação da Natureza: Charles Darwin em Maurício

  46. Inglêses na vida cultural do Brasil e em Maurício no século XIX

  47. Administração inglêsa e desenvolvimento das vias de comunicação. Brasil e Maurício na filatelia

  48. Da Guiana inglêsa à Europa e a Maurício: Victoria regina

  49. Arte em ferro inglêsa em Jardins Botânicos do Índico e do Pacífico

  50. Elite colonial e creolos na cultura européia. Prosper d'Épinay (1836-1914) - Comendador da Ordem da Rosa

  51. Cultura memorial e mudanças de identidade e imagens. Indentured immigrants em época pós-escravocrata

  52. Redes sociais na história político-cultural. Império alemão e Império britânico. Ética do Dever e Ética do Sucesso

  53. "Ordem e Progresso" no Brasil e na esfera britânica. Análise de concepções éticas de fins do século XIX em contextos internacionais. 150 anos de Samuel Alexander (1859-1938)

  54. Biomimetismos, mutabilidade e adaptações

  55. Contextualidades no espaço urbano

  56. Classicismo e revivals. Processos identificatórios britânicos e dimensões da arquitetura vitoriana no Brasil

  57. História natural inglêsa e os estudos culturais do Amazonas: Wallace, A.R.

  58. Zoologia comparada e pesquisa da cultura: Bates, H.W.

  59. Teoria da Evolução e a perspectiva teórico-cultural em contextos internacionais: Europa-Brasil-Austrália

  60. Brasil na exposição Charles Darwin - Voyages and ideas that shook the world

  61. Darwin in Hobart City à luz de suas experiências na América do Sul

  62. Austrália e Brasil em Darwin. Papel do Brasil no desenvolvimento da Teoria da Evolução

  63. Austrália e Brasil na história do Evolucionismo e de concepções evolucionistas na Antropologia e na Sociologia. Ladislau Neto (1838-1894) e Eunápio Deiró

  64. Teuto-brasileiros na história da Teoria da Evolução. Johann Friedrich Theodor Müller (Fritz Müller) (1822-1897)

  65. Fontes históricas da Etnomusicologia e da Musicologia de orientação intercultural: Aborígenes e índios. Darwin e o Corroboree

  66. Presença da Amazônia em Adelaide: Vitoria Regia.  Robert (1804-1865) e Richard Schomburgk (1811-1891)

  67. Vitoria Regia e seu significado para a arquitetura e para a história cultural da indústria e comércio. Joseph Paxton (1803-1865) e o Palácio de Cristal

  68. Relações pacífico-atlânticas numa História das Artes em contextos globais I: Conrad Martens (1801-1878)

  69. Relações pacífico-atlânticas numa História das Artes em contextos globais II: Augustus Earle (1793-1838)

  70. Consequências culturais da Primeira Guerra em contextos globais - Intensificação da influência cultural francesa no Hemisfério Sul

  71. Veneratio vitae: Relações entre o Homem e os outros seres viventes na Ética. Significado do pensamento de A. Schweitzer para países de formação colonial marcados pela destruição da Natureza e extinção de espécies: Brasil e Austrália

  72. Catedral de São Paulo de Wellington e a recepção do estilo missionário ibérico no Pacífico

  73. Abertura de portos na América hispânica e a influência inglêsa na história cultural de Valparaíso

  74. Inglaterra-Países do Cone Sul. Puerto Madryn e Buenos Aires. Consciência latino-americana e problemas de consciência

  75. Inglêses na história cultural do Brasil e da Índia: enfoques transnacionais

  76. Índia-Europa-Brasil. Tarefas e perspectivas para estudos interculturais

  77. Similaridades entre a Índia e as Américas. Falta de compaixão pela Natureza é falta de cultura. Relendo Tagore

  78. História política britânica nas Antilhas e simbólica cultural latino-americana. Estudo de caso: Caribe Inglês, República Dominicana e Brasil

  79. Expansão e significado teórico-cultural do paisagismo inglês. Natureza, cultura e qualidade de vida

  80. Eleanor Florence Dewey (1912-2008)

  81. O Processo Composicional: relato de uma experiência (C. Soares). Comunicação: Composition folio




 






Cambridge 2011. Parque no texto: Scotney Castle 2014. Fotos A,A,Bispo © Arquivo A.B.E.
 

BRASIL-EUROPA
www.brasil-europa.eu

Organização de estudosde processos culturais em relações internacionais (registrada 1968)
Academia Brasil-Europa

Direção: Prof. Dr. Antonio Alexandre Bispo

©

ESTUDOS CULTURAIS EUROBRASILEIROS RELACIONADOS COM A

GRÃ-BRETANHA

 

Portal (português)     Portal (deutsch)      Revista     Contato     Convite     Impressum     Estatística     Atualidades