BRASIL-EUROPA
PROCESSOS CULTURAIS EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

 
 

Organização de Estudos de Processos Culturais em Relações Internacionais


A organização remonta a um movimento renovador de perspectivas teóricas e de práticas culturais que, originado em São Paulo em 1964, foi constituído em sociedade registrada em 1968 (Nova Difusão).


Confrontados com problemas em áreas teóricas de natureza histórica, empírica e sistemática voltadas à música, ás artes, à arquitetura, à análise urbana e às tradições culturais, o objetivo de seus iniciadores foi o de dirigir a atenção a processualidades, questionando categorizações de esferas culturais que definem disciplinas, posicionamentos e métodos.


Passou-se a questionar também qualificações que emprestam entidade, substância ou essência a fenômenos, fatos ou artefatos culturais segundo critérios nacionalistas, étnicos, religiosos ou outros.


Os objetivos do movimento, ainda que nascido no Brasil, não foram nacionais ou bi-laterais, mas globais, ainda que considerados em contextos determinados locais, regionais e nacionais.


Essa sociedade contou nas suas atividades com o apoio do Departamento de Cultura de São Paulo e várias instituições de ensino, museus e grupos artísticos. O processo desencadeado teve repercussões na pesquisa, na vida cultural e musical e na educação.


A sua internacionalização na Europa deu-se a partir em programa de interações iniciado na Europa em 1974 e possibilitado pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD).



A serviço do esclarecimento


Dando continuidade a esse movimento, a fundação promove a condução de estudos de processos culturais em relações internacionais e a difusão de posicionamentos de auto-reflexão do Homem quanto às suas inserções em processos culturais.

Assim atuando, procura contribuir à emancipação e à liberdade do Homem perante condicionamentos, à sua liberdade na auto-determinação refletida e a desenvolvimentos conscientes e responsáveis nas suas relações com outros seres viventes e com o meio ambiente.


Ela procura assim  fomentar o desenvolvimento de uma Ciência da Cultura não-antropocêntrica ou de distanciamento observante relativamente a edifícios culturais geo- e antropocêntricos.


Processos culturais e música

Os trabalhos apoiados e mantidos pela organização realizam-se através de uma academia de ciência da cultura e da ciência (science studies) e institutos de pesquisas.

Congregando sobretudo pesquisadores que se utilizam da língua portuguesa, os trabalhos emprestam particular atenção a processos em países e comunidades lusófonas ou marcados historicamente por elos com Portugal.

A condução de análises de processos ou contextos culturais no fluir de sua decorrência temporal favorece a atenção a paralelos de decorrências, estruturas e mecanismos com a música, também no sentido amplo, metafórico e filosófico do termo.


Consequentemente, desenvolveu-se de forma pioneira uma musicologia de orientação teórico-cultural e filosófica, como ciência a ser conduzida na área das Humanidades, criando-se para isso o Centro de Pesquisas em Musicologia, em 1968.

Esses trabalhos têm continuidade no I.S.M.P.S. (Institut für Studien der Musikkultur des portugiesischen Sprachraumes e.V.), instituto de pesquisas registrado e reconhecido de utilidade públioca na Alemanha, em 1985, e que é representado no Brasil pelo I.B.E.M..


Esses paralelos entre processos culturais e concepções musicais - ou acústicas - levam a uma consideração privilegiada de sintonias para além de oposições ou das polaridades mais imediatamente perceptíveis na visão do mundo e do homem.

Estudos culturais e análise de rêdes


Na Academia Brasil-Europa (A.B.E.), procura-se fomentar especializações e aproximações inter-disciplinares e internacionalizadoras de acadêmicos, pesquisadores e estudantes pós-graduados de diversas áreas do conhecimentono sentido dos objetivos da organização.  Empresta-se particular atenção às relações entre ciência e processos formativos/educativos.


As reflexões e análises procedem não a partir de relações bi-laterais, mas em referências supra-nacionais, correspondendo a processos integradores intercontinentais e transcontinentais, em particular europeus, transatlânticos e interamericanos.


Com o escopo da promoção de reconhecimento consciente de inserções e condicionamentos, os estudos culturais são conduzidos em estreito relacionamento com aqueles da própria ciência e análises de rêdes (science studies).


Os estudos e reflexões desenvolvem-se no âmbito de programas de pesquisas, cursos, colóquios, simpósios, congressos, seminários, ciclos e viagens de estudos, assim como virtualmente através da Revista Brasil-Europa/Correspondência Euro-Brasileira.


Cultura, Direitos Humanos e Ética


Concepção condutora dos trabalhos é o a de cultura como Direitos Humanos realizados e Deveres Humanos cumpridos (Dr. Thomas Freund, 1981).


Estes são compreendidos no sentido amplo de uma ética de responsabilidade perante a natureza e outros seres viventes. Nessa orientação, a A.B.E. insere-se em tradição mais antiga, remontando a academia constituída em Salzburg, em 1919.


Centros de estudos e secretariados


Nos Centros de Estudos, respectivamente localizados na Renânia do Norte/Vestfália e em São Paulo, mantém-se arquivos e biblioteca para a realização dos trabalhos.


A sua localização corresponde ao intento de procura de condições apropriadas à concentração e reflexão em proximidade à natureza. A organização dispõe de sedes próprias em diferentes cidades.


Projetos e eventos realizam-se sob patrocínios, em cooperações e com o
apoio de ministérios, embaixadas, órgãos governamentais e eclesiásticos, universidades, museus e outras instituições, assim como outras organizações, fundações e empresas.